Sindicato Classisista e de Luta fale conosco
Publicações

Publicações

A GRÉCIA NA UTI - OSVALDO VENTURA

Ícone Calendário04/03/2015
A GRÉCIA NA UTI - OSVALDO VENTURA

A GRÉCIA NA UTI

                                                                                                    (*) Osvaldo Ventura

 

  Em estado comatoso, o berço da democracia respira por aparelhos.Isso desde 2010, por ter sofrido um golpe de estado financeiro, ou seja, quando teve sua soberania violentada e seu povo dominado e vilipendiado pelo capital rentista.Tudo em nome do neoliberalismo engendrado no famigerado Consenso de Washington.

Diferentemente do clássico golpe a manu militari, no qual se depõem governantes e se enfrenta as reações com baionetas e balas de metralhadoras, o golpe de estado financeiro age de forma “civilizada”. Sem disparar um tiro,invade os Estados Nacionais com sua devastadora política de austeridade, destruindo por asfixia a economia e matando literalmente seus povos.É o clássico receituário neoliberal empurrado goela abaixo dos países que tiveram a desdita de necessitar de empréstimos externos de estados soberanos ou de organismos multilaterais.

      Decorrido quase meio século, a teoria de que “o livre mercado”, por si só, iria regular as relações econômicas, transformou-se na maior e mais perversa concentração de renda da história da humanidade. Ameaçando a convivência pacífica da civilização.

É pura falácia, também, que “o crescimento é como a maré alta: levanta todos os barcos”. Isso porque a renda produzida pelo crescimento somente será distribuída de maneira menos injusta se houver regulação estatal.

O neoliberalismo nada mais é do que o salve-se quem puder. Sem regras, sem limites, acumulou rendas de tal ordem que está se tornando autofágico. O excesso de capital financeiro está matando o próprio capitalismo. Pois, como se sabe, orentismo não produz um só alfinete; quando poderia estar produzindo bens de capital.

      Por ironia da História, a Grécia, onde se originaram as primeiras concepções sobre um regime democrático, sofre hoje verdadeira ditadura imposta pelo poder externo e incontrastável  do capitalismo mundial em sua fase mais deletéria.

Durou pouco a esperança de que a nação helênica saísse dessa situação aflitiva, com a eleição do primeiro-ministro grego Alexis Tsipras. Não foi o bastante.

A “banca mundial” do rentismo, atualmente ancorada na Alemanha, não aceitou a proposta do governo de Tsipras. Prolongou sua agonia. Deu-lhe, então, quatro meses de prazo para que o plano dos banqueiros fosse reavaliado e aceito. Do contrário...

Sem a necessária correlação de forças, ou Tsipras aceita o acordo ou o rentismo“lhe tira o tubo”.    

 

 

                                                                                                                    (*) Advogado, escritor

                                                                                   Membro da Academia Feirense de Letras 

                                                                                    Feira, 02/03/2015

Parceiros

Parceiros

  • Contraf
  • Federação dos Bancários
  • Bancários Classistas
  • AFBNB
  • Fenae
  • Vermelho
  • ANABB
  • CTB
Enquete

Enquete

PARA VC O GOVERNO BOLSONARO